GeralUltimas Noticias

Mortos em acidente com ônibus da Águia Branca são identificados

O acidente com o ônibus da Viação Águia Branca, Placas ODF-8294, por volta das 05h da madrugada desta última quarta-feira (15/05), na altura do KM 896 da rodovia BR-101, na conhecida curva da tarifa, adjacente ao povoado de Rancho Alegre, no município de Caravelas, em que 10 pessoas morreram e outras 22 ficaram feridas, inclusive uma criança de 2 anos, dentre elas três ainda estão em estado grave, está provocando um quebra-cabeça na reflexão dos peritos para que a ciência e os recursos técnicos lhes auxiliem e digam com precisão a causa do acidente.

A dúvida é se o motorista cochilou ao volante, tendo em vista que no local não houve marca de frenagem e nem o tacógrafo do veículo registrou nenhuma freada brusca no momento do acidente ou se ele tenha se perdido na curva e causado a descida na ribanceira seguida de sequentes tombamentos em razão da neblina que atingia a região naquela manhã, tendo em vista que o motorista, embora fosse experiente, mas era calouro na linha e não conhecia tão bem os trechos da região. Mas a filmagem interna da cabine do ônibus é que deve ajudar os peritos a identificar as causas do acidente.

O ônibus partiu da Rodoviária de Vitória, no Espírito Santo, às 23h15 e chegaria em Itramaraju às 06h40. Mas a 16 quilômetros da cidade de Teixeira de Freitas, houve a tragédia automobilística. No local morreram 9 pessoas e uma no Hospital Municipal de Teixeira de Freitas. O Departamento de Polícia Técnica, sob a coordenação do perito criminal Manoel Garrido uniu as estruturas de Teixeira e Itamaraju para que o órgão pudesse atender a ocorrência com presteza e a liberação dos corpos fosse acontecendo na melhor condição possível. O SAMU convocou toda sua equipe para que desse a devida assistência às dezenas de feridos, bem como o Hospital Municipal.

O motorista Mauricio de Souza, 34 anos, era motorista da Águia Branca há 4 anos, era natural de Mantena, em Minas Gerais e morava no bairro Jardim Carapina na Serra, município da região metropolitana de Vitória, morreu preso às ferragens do ônibus que dirigia. O aposentado Elson de Oliveira, 70 anos, que era natural de Cachoeiro de Itapemirim-ES., foi encontrado morto com múltiplas fraturas pelo corpo. A aposentada Maria D’ajuda Francisca dos Santos, 76 anos, que morava no povoamento do Pau D’alho, no município de Itamaraju, retornava de um tratamento de saúde em Vitória e foi encontrada morta com fortes mutilações na cabeça.

A aposentada Maria Isabel Marques de Bertolli, 78 anos, natural de São Gabriel da Palha, no norte do Espírito Santo, mas que residia na região do Parque Moscoso em Vitória, tinha destino à cidade de Itamaraju, de onde seguiria para a fazenda dos filhos na região do Palmares no município de Prado, no entanto, no acidente ela foi encontrada morta apresentando lesões na cabeça e pescoço. Ela viajava na companhia do seu esposo Belmiro de Bertolli, 82 anos, que está em estado de coma na UTI do Hospital Municipal de Teixeira de Freitas.

A senhora Joselita Maria de Jesus, 63 anos, que era natural de Medeiros Neto e morava na Serra, município da região metropolitana de Vitória e seguia para Itamaraju, para participar de uma audiência judicial no Fórum da cidade e no acidente, acabou se lesionando gravemente e morreu no local. Ela viajava na companhia da filha e do genro. A filha Maria de Lurdes Jesus Batista, ainda está internada no Hospital Municipal de Teixeira de Freitas, já seu genro Silas Santos Oliveira, recebeu alta da unidade no início da noite desta quarta-feira (15).

Outra vítima fatal do acidente foi Edna Oliveira Silva, 41 anos, que morava em São Paulinho, povoado do município de Itamaraju. Edna voltava de Vitória depois de uma temporada de 20 dias hospedada na casa da filha no bairro Bela Vista na Serra, onde havia aproveitado para fazer um tratamento médico de coluna na capital capixaba e, embora tivesse sofrido um violento corte na cabeça que lhe partiu o crânio, ainda teve forças para sair do ônibus, subir o matagal e chegar até a pista onde foi a óbito ao receber os primeiros socorros. Já a professora Dalva Rodrigues Cacique, 68 anos, natural de Itanhém e que também residia em Itanhém, ainda foi socorrida com vida até o Hospital Municipal de Teixeira de Freitas, onde morreu 5 horas depois de ter dado entrada na unidade.

Na noite desta quarta-feira (15/05), foi identificado o corpo de Cosma de Jesus, 34 anos, que residia na Rua das Violetas, no bairro Primavera em Itamaraju. Foi identificado também o corpo de Vera Lúcia Alexandrina Macedo, 45 anos, que morava na Rua Nacional, no bairro Novo Prado, também em Itamaraju.

E só por volta das 16h desta quinta-feira (16/05), foi identificado o corpo da 10ª vítima, o fotógrafo Eduardo Lopes da Silva, popularmente conhecido por “Tiririca”, 42 anos, oriundo de Belo Jardim, uma cidade situada nos arredores de Caruarú, no estado do Pernambuco. 

Eduardo Lopes da Silva, o “Tiririca”, vivia viajando o país na companhia dos três companheiros produzindo álbuns de fotografias. Para liberar o corpo do IML, os amigos vão precisar de uma orientação da família em Belo Jardim, no Pernambuco, para saber se translada ou não o seu cadáver, além da presença de um parente de primeiro grau ou uma procuração da família para que possam retirar o corpo de “Tiririca” do Instituto Médico Legal de Teixeira de Freitas.

Por: TN

Comentarios

Faça seu Comentario

Comente aqui